quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Começando 2016...

E o ano virou... e já é 2016... e daí que ainda dá umas coceirinhas de vir aqui de vez em quando registrar coisas bonitas do dia-a-dia com Joaquim. Nosso moleQuim que já está com 6 anos!!! Quando estava perto de seu aniversário, em Novembro, minha brincadeira predileta era falar pra ele: "ahhhh filhoooo, por favor, vira neném de novo!!! Não cresce mais não!?!?!", e ele dava risada e dizia: "ai mãeeeee..."...




Joaquim continua Joaquim: engraçadão, bem humorado, adora cantar, adora brincar de bicho (às vezes ele é um puma, um camaleão, sempre um dinossauro, ou um leão), sabe tudo de dinossauros, é um bom amigo, tem um carinho e um cuidado especial com amiguinhos mais novos, é super curioso, faz mil perguntas por dia e é muito carinhoso. Joaquim continua honrando a data de seu nascimento - 13 de novembro, o Dia Mundial da Gentileza - ele é um menino gentil. Adoramos quando ele demonstra interesse pelo nosso dia-a-dia perguntando ao papai como foi no trabalho, perguntando se mamãe quer ajuda. Ele já me falou que quando mamãe estiver trabalhando, na hora de colorizar um desenho é para chamá-lo porque ele "sabe tudo sobre as cores do mundo!". Aliás ele vive dizendo que vai ser desenhista, igual a mamãe, e esta é umas das atividades diárias dele, desenhar, desenhar e desenhar...



2015 foi um ano de mudanças pra nós. Eu mencionei isto há dois posts atrás e deixei o assunto no vácuo... acho que precisava viver a mudança antes de falar sobre ela. E tem sido lindo! Desde que nos conhecemos, Ismael e eu moramos em apartamento e já faz alguns anos que acalentávamos o sonho de ter um pedacinho de chão pra pisar na grama, pra plantar hortelã, pra estender uma rede... e eis que há 11 meses estamos ajeitando nosso pedacinho de chão! Uau, quase um ano já... Morar numa casa com quintal é uma nova vida! Achamos a maior graça quando nos pegamos conversando com amigos sobre o melhor adubo para plantas, como combater lagartas das flores, etc. É um novo universo que tem sido delicioso de explorar!

Percebemos isso em Joaquim também. O típico "piá de prédio" que não gostava de andar descalço, tinha pavor de insetos e muito medo de cachorro. Isso tudo, ou quase tudo, é passado! Me delicio vendo moleQuim correndo na grama de pé no chão, os insetos ainda perturbam um pouco, mas agora nós temos um cachorro!!! E Joaquim e Spike são mega companheiros, de rolar no chão e apertar e amassar e brincar junto e até de dar umas mordidas e arranhadas de vez em quando (faz parte!).




A empolgação com a novidade do jardim é tanta que foi automático na hora de decidir sobre o aniversário de passarinho: vamos fazer festa em casa! Pela primeira vez em 6 anos... Antes não tinha espaço mesmo, e tinha toda aquela vontade de chamar o mundo inteiro pra celebrar junto (principalmente nossos amigos!! he he...), mas aí que o tempo vai passando e a gente vai percebendo que a criançada curte mesmo é estar com a criançada e, como diriam os franceses, c'est suffi!! (É o que basta!), então que fizemos a festinha de 6 anos "Proibida para maiores"! Os pais trouxeram as crianças e voltaram mais tarde para buscar. E foi o máximo!!! Joaquim planejou tudo, desde o tema até as brincadeiras. Mamãe preparou alguns ítens para as brincadeiras, lanchinhos, lembrancinhas e afins, vovó e vovô também preparam alguns lanchinhos deliciosos, papai foi o "animador e monitor" da criançada e voilá! Estava feita a festa e foi tudo lindo!!! Nós adoramos, Joaquim se divertiu, os amiguinhos amaram!

Dia de Festa!!

Joaquim explicando a brincadeira pra galera!

"Acerte a boca do Dragão"

Spike sendo Spike e animando a festa!

Bolo, velas, dragões e muitos amigos para comemorar 6 anos!!!

É muito amor!!!



domingo, 23 de agosto de 2015

E já passou novembro...

Nosso blog está assim, com vários textos em rascunho, prestes a serem publicados, "só-que-não"... aí a gente vem dar uma geral, ver o que rola e dá vontade de publicar tudo!!! Então aí vai um pedaço desse tudo... já faz um tempo mas sempre vale a pena!!! Há 9 meses atrás... Novembro de 2014:

ANÍVER DE 5 ANOS

Novembro passou, mas eu não podia deixar passar sem nenhum registro, afinal, é o mês mais divertido do ano!!! É em novembro que a gente ouve uma pessoinha falando sobre aniversário todos os dias. É em novembro que papai e mamãe "pira" nas idéias para festejar essa data tão querida. E é em novembro que Ismael me olha com o olhar mais cheio de amor do mundo e me pergunta na noite de 12 de novembro, perto da meia-noite: "lembra o que a gente estava fazendo há 5 anos atrás?""

Há 5 anos (meuDeuscincoanosjá?!?!?!), na noite de 12 de novembro estávamos voltando do teatro e indo dormir um pouco antes da meia-noite. Uma hora e um pouquinho depois eu despertei com uma sensação nada familiar: era minha bolsa rompendo.

E Joaquim nasceu. Desaguou neste mundo como gosta de dizer Ismael. E eu contei como foi AQUI. Nesse dia nossa vida mudou, nossa vida cresceu, ficou mais colorida, divertida e cheia de ótimas histórias para contar.

E já que é assim, vou contar uma história:

"Era uma vez um menininho super criativo que assim que completou 4 anos de idade já começou a planejar a festinha de 5 anos...". E foi assim mesmo. Um dia depois da Festa dos Monstrinhos, moleQuim já começou a falar que seu próximo aniversário seria de Dinossauros. Naquela época chegamos a pensar "ok, daqui a alguns meses a gente vê qual é o tema da vez". Mas que nada, o gurizinho foi persistente. Ele chegou a desenhar como gostaria que fosse o painel e o bolo da festa! Foi aí que tivemos a idéia de usar seus próprios desenho para decorar o evento.

Não precisa nem dizer que nos divertimos muito preparando e organizando tudo, e ficou assim:

Joaquimssauro!

Bolo temático

Família dinossáurica

Caça aos ovos de dinossauro

Caça aos ovos de dinossauro


Máscaras de Tricerátops

domingo, 25 de janeiro de 2015

Mudança...

Eu morei os primeiros 9 anos da minha vida na mesma casa, numa rua com nome de pedrinhas preciosas. Nesta casa eu fui bebê, dei meus primeiros passos de mãos dadas com meu irmão gêmeo, vivi minha primeira infäncia, tive meu primeiro cachorro, descobri como é super legal brincar de clubinho com a turma da rua e ganhei um irmãozinho. Guardo esse endereço e a imagem desta casa no meu coração e nas minhas memórias mais remotas com muito amor. Depois disso, morei em outros treze (aham 13!) endereços. Em cada um deles vivi momentos especiais que fizeram de mim o que sou hoje.

Desde aquele primeiro endereço, o das pedrinhas preciosas, o lugar onde mais tempo morei foi justamente onde moro hoje, numa rua com nome de floresta. Moro há 13 anos neste apê, de onde alcei alguns dos meus primeiros vôos (deliciosas viagens) de mãos dadas com meu amor, onde tenho vivido grande parte da minha vida de "gente grande", onde tive meu último cachorro, onde continuo me divertindo com as turmas de amigos e onde vivi a graça e a alegria de me tornar mãe...
Todas as minhas primeiras memórias como mãe, nossas primeiras experiências como família, todas as primeiras histórias de Joaquim estarão para sempre ligadas a este endereço, à este apartamento...

E por que será que estou neste clima nostálgico? Porque vem mudança por aí!!

Joaquim: Mas a gente vai poder levar o peixinho ?!?!!
Papai: Altos planos para o jardim, horta, flores e plantas!
Mamãe: Pensando muito em cores de parede, frufrus e balangandãs para os novos ambientes!!



sábado, 11 de outubro de 2014

E quando não é Dia das nossas Crianças?!?!

Lá venho eu com o um velho clichê, afinal todos sabemos que Dia das Mães, dos Pais, das Crianças é todo dia!!! E que o segundo domingo de um mês ou de outro mês, ou o dia 12 de outubro é uma data simbólica (e bem comercial) para homenagear a quem amamos. Diante dessa realidade temos algumas opções:

A) Ignorar tais datas e todo o estímulo consumista que elas envolvem. O que percebemos que com uma criança frequentando a escola é bem difícil de se fazer;

B) Entrar na onda e aproveitar para comprar, gastar e dar um presentão como forma de expressar amor;

C) Entrar na onda e aproveitar para mostrar aos nossos pequenos que existem diferentes formas de expressar nosso carinho e amor a quem a gente quer homenagear;

Confesso que a primeira opção nunca rolou aqui em casa, afinal quem nunca se emocionou com o primeiro Dia das Mães ou dos Pais em que não estávamos só pensando em nossos progenitores... Aquele em que a gente se dá conta de que é A/O homenageado/a. E quem nunca, depois de adulto, quis fazer valer o Dia 12 de Outubro daquele jeitinho que sempre sonhou, com passeio, algodão doce, brincadeiras e tudo de especial?!? Já a opção B também não combina muito com a nossa realidade...

Então que aqui em casa rola a opção C. Rola uma de pensar num jeitinho especial de fazer valer essa data simbólica que diz o que na verdade queremos dizer todos os dias: Papai te amo; Mamãe te amo; Filhote te amamos!!! E o jeito mais legal que pensamos para comemorar o Dia das Crianças com o Joaquim, foi passar o dia inteiro curtindo com ele: teve fazer máscara de papel, teve cuidar das plantinhas, teve Feira de Troca de Brinquedos, teve andar de perna de pau com papai ajudando, teve pula-pula gigante, teve contação de história, teve andar de patinete... em suma, tivemos um Dia das Crianças pra lá de delicioso!!!



Máscara de Tigre que fizemos juntos. Joaquim se transformou num Dente de Sabre!!!

Patinetando...

"Olha só minhas vagens de feijão!!!"

Se aventurando na perna-de-pau

Negociando na Feira de Troca de Brinquedos

Selando um negócio fechado! (é muita fofurice...)


quinta-feira, 18 de setembro de 2014

No mundo da fantasia!

Joaquim A-M-A brincar com fantasias!! E Ismael e eu nos realizamos em ver a facilidade com que ele mergulha nesse universo delicioso do faz-de-conta.

Tudo começou com um dia especial na escola no ano passado. Veio um bilhete na agenda pedindo para as crianças irem fantasiadas para um dia divertido. O bilhete ressaltava que valia a criatividade, não era necessário comprar nada especial. Eu sou suuuuper a favor do Do It Yourself e já me empolguei pensando no que inventaríamos... mas assim como me empolgo, também me enrolo. Eis que faltavam dois dias para o tal dia da fantasia e eu não tinha nada! Resolvi facilitar a vida e dei uma pesquisada na internet em lojas de fantasias infantis. Primeiro me frustrei ao ver que praticamente só existiam fantasias de super heróis disponíveis: homem-aranha e super-homem reinavam quase absolutos! Não tenho nada particularmente contra, mas Joaquim não é nem um pouco ligado em super-heróis! Pesquisando mais a fundo, encontrei uma loja que tinha mais variedade, e o melhor, era pertinho de casa! Antes de dar uma bola fora, consultei o maior interessado e perguntei a Joaquim se ele preferia uma fantasia de animal ou de super-herói: "ANIMAL!! ANIMAL!!! E eu quélo um tchigue, mamãe!!""

No outro dia passei na loja, não tinha tigre, mas tinha macaco, zebra e leão. UNIDUNITÊ... vai o leão! À noite, quando Joaquim chegou da escola, a fantasia estava lá bonitona, esperando ele. Quase chorei de emoção de ver a alegria do piá!!! Foi lindo! Ele quis vestir na mesma hora, e brincou, brincou, brincou... sabe quando vc se realiza com um investimento? Essa era eu!

Ele logo me pediu pra ver no espelho. Ótimo para experimentar o personagem! 


Essa fantasia de leão já se pagou mil vezes de tanto que moleQuim já brincou com ela!! Já rendeu outros eventos na escola - dia desses mesmo, eles deveriam ir fantasiados (mais uma vez valia a criatividade) do personagem preferido, Joaquim começou a pensar em todos os personagens leão que ele lembrava: o Rei Leão! O Alex de Madagascar! Aproveitei a deixa para falar do leão de O Mágico de Oz, ha ha... e lá foi ele com sua fantasia toda esticadinha que quase não serve mais... Ele até já pediu pra dormir com ela, algumas vezes! Só tiramos a juba e o focinho por uma questão de segurança, é claro... =P

No aníver de 4 anos (há quase 1 ano atrás!!!!) ele ganhou uma roupa de Dinossauro (não achei fotos... =/ ) super fofa. É um conjunto de camiseta e bermuda verdes de malha, com detalhes em feltro, e um gorro com "espinhos" (como diz Joaquim) de feltro. Ele A-D-O-R-A!! Acho um barato que ele quer usar pra ir em aniversários, pra ir ao mercado, pra ir na casa da vó, pra ficar em casa, pra dormir... a roupa já está gasta, rasgadinha, mas tá tudo bem!

E o mais legal, mais legal mesmo, é que Joaquim não se atém às fantasias prontas. Ele inventa, tem idéias maluquinha e improvisa! Para o dinossauro verde, ou qualquer outro animal que ele resolva ser, ele faz uma cauda com o "nana" (fraldinha que ele usa para o chamego na hora de dormir), pendurando no bumbum, pelo elástico da calça. Mas o improviso é calculado! Tem o comprimento certo, não pode arrastar no chão, nem ser curta demais: "É assim ó mamãe, faz uma bolinha e prende aqui na calça...". E lá vou eu fazer a assessoria de colocação da cauda...

Daí que há algum tempo atrás ele assistiu "Como treinar seu dragão" e se apaixonou pelo tema! Então agora ele quer ser dragão. E quando nos damos conta, ele está catando os acessórios: o gorro do dinossauro serve também para o dragão, a cauda pode ser o bom e velho "nana"... ; mas falta alguma coisa: "mamãe, zá sei! podia usar os outros 'nanas' pra fazê as asas!!". E lá vai uma mãe toda emocionada amarrar fraldinhas e prender na camiseta de moleQuim para improvisar as asas do dragão... E pra ele está perfeito! Ele super entra no personagem, e voa pelo apartamento e libera sons guturais como quem cospe fogo!

O dragão implacável agitando suas asas para mais um vôo arrasador...
...e ele pendurou um binóculo de rolo de papel higiênico no pescoço. Perguntei se o dragão precisava de binóculo, ele respondeu: "não mamãe, é uma coleiRRa!!!" (de Como Treinar Seu Dragão...) 

Outro dia ele resolveu que queria ser um Triceráptor, ou seja, um "modelo" XYZ de dinossauro que tem chifre no nariz e espinhos na nuca. Lá fomos nós fazer um chifre de cartolina com elástico pra ficar no lugar certo e o gorro verde com espinhos de feltro, no sentido horizontal, fez as vezes dos espinhos. Ele brincou por horas a fio... um lindo!

Mas nem só de leões, dinos e dragões são alimentadas as fantasias de Joaquim! Teve o dia em que ele decidiu ser um coelho. Mas como fazer as orelhas do coelho? "Zá sei!!! Mamãe, você tem aquelas calças com pé? Eu podia colocá na cabeça!!". Ele falava de meias calças... então lembramos das ceroulas dele que podiam servir também. Ele testou e aprovou, logo tínhamos um coelhinho pulando pelo apartamento! E o mais fofo, ele "adaptou" o bom e velho nana para fazer um rabo de coelhinho: "tem que ser bolinha, mamãe!". Derreti...

Coelho Joaquim com orelhas de ceroula
Detalhe do rabinho do coelho... é muita fofurice!!!

Mas, no fundo, essa história de curtir o mundo do faz-de-conta vem de longe e desde sempre!!

Um dia fui pegar Quim na escola, mas no lugar dele encontrei... um palhacinho!

Teve outro dia que no lugar de Joaquim, tinha um coelhinho me esperando na escola!

E quando resolvemos brincar de inventar máscaras? Joaquim virou um Tigre-dentes-de-sabre...

... ou quem sabe o Manoel da Padaria!!!

Esses óculos renderam... teve até passeio no parque com o moleQuim decidido a usar seus "óculos de sol"

Nesse dia ele foi príncipe!!! Ou um dos Três Mosqueteiros, junto com os amigões Heitor e Levi!

"Filho,
brinque muito em mundos de faz-de-conta! Seja tudo o que você quiser e sua imaginação permitir! E, sempre que possível, mamãe e papai estarão aqui para te ajudar a construir chifres de cartolina, asas de fraldas e garras de isopor!"



PS: a coisa está se sofisticando e outro dia Joaquim desenhou uma fantasia de Dragão que ele vai "encomendar" com a vovó Nair

terça-feira, 9 de setembro de 2014

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Falando ceRRRRto...

Joaquim sempre foi bastante falador. Ele fala praticamente o tempo todo e bastante. Gosta de conversar, perguntar, cantar, enfim, se expressar. E sempre tivemos orgulho (daquele típico de pais babões) do vocabulário do pequeno: "olha o tamanho da cauda daquele cão!!"; "eu descobi como fazê isso de outa maneila"; "quando é que a sementinha vai se toná (tornar) uma plantinha?"; "eu tô muito azitado (agitado), não consigo relassá (relaxar)"... essa última é típica da hora de dormir, rssss...

Fato é que até muito pouco tempo, questão de semanas mesmo, ele falava igual ao Cebolinha: "bulaco", "aulóla", "macalão"... Juntando a isso seu forte acento germânico na pronúncia das palavras (fofó no lugar de vovó; focê / você; póla / bola, etc), tenho que admitir que ouví-lo falar era sempre uma diversão! =)

No início do ano, na escolinha, nos explicaram que esse ano, nas turmas de Pré, era o momento de prestar atenção na fala das crianças e recomendar, se fosse o caso, um acompanhamento fonoaudiológico para quem precisasse. Isso porque as crianças estão começando a ter contato com a escrita, as letras, etc. E nós somos testemunhas das confusões que isso pode gerar: "Né mamãe que 'póla' começa com P?"...

Quando chegamos na metade do ano, víamos que Joaquim começava a prestar atenção e às vezes até se corrigia sozinho. Percebemos um trabalho bacana da escola e também estávamos fazendo nossa parte, corrigindo sempre que possível mas sem forçar a barra, afinal a idéia não é traumatizar a criança, né? Entre junho e julho fizemos uma viagem, passamos quase 25 fora, longe da escola e percebemos um leve retorno do L no lugar do R, mas nada que não tenha sido recuperado rapidinho logo que voltamos.

Agora Joaquim presta bastante atenção na hora de falar e não troca mais o R pelo L... agora ele coloca R em tudo!!!! "Raranja", "ricença", "careidoscópio"... he he he... e quando fala o R no lugar certo, ele quer garantir que tremeu a língua para falar, então sai "paRRede", "pRRaça", "auRRoRRa"... ou seja, a diversão continua garantida!!! (muito má eu, me divertindo às custas de meu filho?... =P ).

Bom, além do registro desse momento tão bacana que é o desenvolvimento da fala do nosso passarinho, também resolvi escrever sobre isso porque sempre me admiro como é verdadeira a máxima que diz que cada criança tem seu próprio ritmo! Claro que a mãe neurótica aqui já tinha cogitado a idéia de que talvez Quim precisasse de fonoaudilóga(o); assim como me preocupei quando ele completou 1 aninho e ainda não andava!! (mãe é tudo fora da casinha mesmo...). E eu acho que a gente se preocupa porque tem a noção de tempo de "adulto", onde a maioria das coisas se dá por processos, muitas vezes longos. Mas com os pequenos é incrível como a coisa acontece de repente! É como se um botãozinho fosse ligado e, de uma hora para a outra, eles andam, eles falam, eles falam direitinho... acho isso tão fascinante!!!

"Papai, vamo cuidá das 'prantinhas'!!"